Trabalho é reconhecido internacionalmente

O representante da Liga Acadêmica de Medicina Intensiva de Minas Gerais - Somiti (Ligami), Bruno Vinícius Castello Branco, apresentou o estudo de caso ‘Intensive approach to systemic lupus erythematosus associated with preeclampsia and its implications in a concept: a case report’, no International Symposium on Intensive Care and Emergency Medicine for Latin America (ISICEM-LA), realizado em São Paulo, de 10 a 13 de julho.

O estudante da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais e integrante da Ligami - Somiti, Bruno Castello Branco, desenvolveu a atividade com os colegas da Ligami: Matheus Victor Pereira e Tayná Alves dos Santos, e os acadêmicos da UFMG Laura Carolina Menezes Vieira Silva e Luiz Alberto Wanderley de Menezes Silva, com os intensivistas Lucas Carvalho e Hugo Corrêa de Andrade Urbano, coordenador da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Vila da Serra (BH/MG) e presidente da Somiti

“Acompanhei junto com colegas, também da Liga, discuti o caso com médicos do CTI e escrevemos este relato de caso submetido ao evento. Eles aprovaram a apresentação que foi realizada e publicada na revista Critical Care”, conta Castello Branco. Ele explica que a escolha do caso se deu após contato, durante o estágio no Hospital Vila da Serra, por meio da Ligami. “O caso chamou a atenção por sua complexidade. Tive a oportunidade de discutir bastante o quadro com Dr. Lucas, durante os plantões, e Dr. Hugo autorizou o nosso trabalho.”

De acordo com o acadêmico, trata-se de uma paciente jovem, portadora de doença sistêmica, que implicou em graves complicações durante a gestação. “A gravidez que deveria ser um período de felicidade para a família, acabou por tornar-se um grande susto. Nosso objetivo foi compartilhar com a comunidade científica, a bem sucedida abordagem adotada pela equipe assistente, sugerindo alternativas com tratamento das síndromes contempladas , nesse caso específico, cujos manejos são muitas vezes dificultados.”

Para Castello Branco, o trabalho inspira profissionais ao redor do mundo a se debruçarem sobre o assunto, em termos de pesquisa, devendo trazer outras perspectivas nos próximos anos. Sobre o Congresso, ele afirma que é uma experiência singular. “Estar diante dos grandes nomes nacionais e internacionais da terapia intensiva é realmente um privilégio. Digo isso em primeiro lugar pelas palestras ministradas por eles, com temas extremamente relevantes para a prática clínica, pareado com o que há de mais moderno em tecnologia e ciência. A experiência desses profissionais nos permite uma visão crítica do que é publicado em literatura, devido à bagagem assistencial vivenciada por eles, por vários anos, no cuidado ao paciente, correndo leito, gerando uma visão crítica assídua.” O acadêmico reforça, ainda, a relevância do networking proporcionado pelo evento, que reúne entusiastas do universo da terapia intensiva no mesmo ambiente, com rodas de discussão.


A Ligami

Sobre a Ligami, o acadêmico de medicina destaca que atendeu todas as suas expectativas, com aulas semanais, associadas ao estágio no Vila da Serra, hospital que, segundo ele, além de reconhecido, muito contribuiu para a aquisição do conhecimento. Isso atende as propostas que a liga acadêmica se propõe a fazer, com o diferencial da Ligami não ser organizada por uma faculdade específica, mas pela Sociedade Mineira de Terapia Intensiva, segundo Castello Branco. Ele afirma que ter o apoio de uma Sociedade médica é essencial. “A Somiti acompanha o aluno, ao contrário de outras instituições de ensino, garantindo um estágio de qualidade e auxiliando o estudante na tomada de decisão, no que tange a escolha da sua especialização futura.”

O estudante acrescenta que o apoio da Somiti permite uma inserção completa na rotina de um CTI. “Somos designados, inclusive, para algumas tarefas especiais, acompanhados pelo plantonista da unidade. Além disso, a Liga me abriu portas com o estudo de caso aqui contemplado, o que foi muito enriquecedor para a minha aquisição de conhecimento e bagagem no universo da terapia intensiva.”


Abstract

Abordagem intensiva ao lúpus eritematoso sistêmico associado com pré-eclâmpsia e suas implicações em um conceito: relato de caso Bruno Vinicius Castello Branco1, Hugo Correia De Andrade Urbano2, Laura Carolina Menezes Vieira Silva 1, Lucas Carvalho 2, Luiz Alberto Wanderley De Menezes Silva 1, Matheus Victor Pereira 1, Tayná Alves dos Santos1 1UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. MG, Brasil; 2HVS - Hospital Vila da Serra, Belo Horizonte, MG, Brasil Cuidados Críticos 2019, 23 (Supl 3): P14

A pré-eclâmpsia é uma das complicações mais frequentes da gravidez em indivíduos com lúpus eritematoso sistêmico (LES), ocorrendo em 16 a 30% nesse grupo em comparação com 4,6% no grupo obstétrico da população. A síndrome HELLP é um resultado possível, apresentando prognóstico desafiador.

Objetivo

Nosso objetivo foi relatar um caso de LES não controlado e sua repercussão na gravidez, que inclui eclâmpsia, síndrome HELLP, perda fetal, e acidente vascular cerebral isquêmico.

Apresentação do caso

Paciente do sexo feminino, 28 anos, branca, grávida pela primeira vez (22 semanas), portadora de LES. Compareceu ao nosso serviço relatando dor abdominal, hipertensão arterial sistêmica (HAS); Segue o uso de metoclopramida, o paciente apresentou rebaixamento de função sensorial. Embora usássemos sulfato, ela teve uma convulsão (eclampsia). Evidência de AVC isquêmico foi confirmada por ressonância magnética cerebral (MRI). A revisão laboratorial mostrou um diagnóstico de HELLP. Terapia com corticosteróides por pulso metilprednisolona, plasmaférese com albumina e doses de ácido acetilsalicílico, sinvastatina e fenitoína foram iniciados. No momento da escrita, em 29º dia de internação, a paciente estava consciente, apesar de apresentar déficit neurológico.

Discussão

Altos níveis de estrogênio durante a gravidez levam a um aumento no corpo das citocinas, que aumentam a ação dos anticorpos contra LES e contra as membranas celulares, que estimula a trombogênese e intensifica a pré-eclâmpsia, danificando o endotélio e as plaquetas. Tal dano causa HBP por vasoconstrição. O tratamento intensivo requer controle do sistema imunológico e estabilização.

Conclusões

O LES implica em riscos potenciais para a gestante e o feto. Portanto, é importante monitorar esses pacientes para investigar qualquer alterações clínicas ou laboratoriais e, assim, interceder por um melhor prognóstico.

Consentimento para publicar

O consentimento informado para publicação foi obtido do prontuário do paciente e da família.

 

 

Trabalho original

 

 

O evento

O International Symposium on Intensive Care and Emergency Medicine for Latin America (ISICEM-LA) é uma parceria entre o Centro de Terapia Intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein e o Departamento de Terapia Intensiva do Hospital Erasme, da Universidade Livre de Bruxelas.

Com periodicidade bienal, o ISICEM-LA é o capítulo latinoamericano do tradicional evento anual realizado em Bruxelas – considerado o melhor simpósio de terapia intensiva do mundo - e segue as mesmas características.

Conforme divulgação dos organizadores do Simpósio, “o evento conta com a presença de palestrantes de reconhecida produção cientifica e publicação dos pôsteres na revista Critical Care, o que é um grande estímulo para os pesquisadores latino-americanos.”

A discussão nos diversos fóruns desenvolvidos durante o simpósio é enriquecida pela participação de cerca de 1500 congressistas, muitos dos quais coordenam diferentes unidades de terapia intensiva.

Saiba mais

 

Curso e estágio

Integrantes da Liga Acadêmica de Medicina de Minas Gerais da Somiti (Ligami) podem participar das aulas semanais do Curso para Residentes e Especializandos em Medicina Intensiva da Somiti (Cremi), que acontece todas as terças-feiras, 18h30, na sede da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e do programa de estágio no Hospital Vila da Serra.

A seleção é feita anualmente. Podem se inscrever os acadêmicos do curso de medicina, de faculdades credenciadas pelo MEC, a partir do 3º ano ou 5º período, que estejam cursando regularmente. Aulas e eventos garantem o contato com os médicos horizontais e especialistas, discussões de casos e participação no curso BLS para os alunos com 80% de frequência nas aulas.

O presidente da Somiti, Hugo Urbano, valoriza a iniciativa que insere o estudante de graduação no contexto real da profissão. "Ele conhece aspectos teóricos e práticos da medicina intensiva, indo além das atividades da grade formal do curso. O aluno obtém, ainda, pontuação adicional em seu currículo.” Urbano valoriza o empenho da equipe responsável pela elaboração e apresentação do estudo de caso e reforça que a Somiti está aberta para proporcionar oportunidades aos acadêmicos, contribuindo com seu desenvolvimento prático e científico.

Saiba mais sobre o Cremi