‘Mês da RCP’: entidades ensinam a salvar vidas

No mês de setembro é celebrado o mês da Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP), com o objetivo de ensinar as pessoas a salvarem vidas por meio de manobras utilizando apenas as mãos. Entidades em todo o mundo, lideradas pela Americam Heart Association (AHA), alertam que na parada cardíaca, cada segundo conta. O material orienta e questiona: “Se você vir um adolescente ou adulto desmaiar subitamente, a RCP feita imediatamente por alguém no local pode dobrar ou mesmo triplicar a chance de sobrevivência. Você saberia o que fazer se visse uma pessoa desmaiar repentinamente?”

Em Minas Gerais, a Sociedade Mineira de Terapia Intensiva (Somiti) e a Associação Brasileira de Medicina de Emergência – Regional Minas Gerais (Abramede MG), com apoio da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), dão voz a campanha, divulgando as principais orientações para o público leigo. De 11 a 20 de setembro, 1500 alunos das escolas públicas de Nova Lima serão treinados com a RCP, usando apenas as mãos. A parceria com a Secretaria Municipal de Nova Lima já capacitou os professores da rede de ensino local. Outras ações são realizadas por meio do Programa Salve Vidas, da Somiti.

A vice-presidente da Abramede MG, diretora da AMMG, Maria Aparecida Braga, conta que levar conhecimento para a comunidade é fundamental. “A maioria dos casos acontece nas ruas, residências e locais de trabalho”. Ela explica que é importante, não apenas o treinamento de todos os profissionais de saúde, mas também da população. As ações no momento da parada são essenciais para o resultado do atendimento. Nessas situações, se o paciente tiver ao seu lado pessoas leigas bem treinadas, elas farão toda a diferença.

A intensivista reforça que a iniciativa mineira vai ao encontro do Projeto de Lei N.º 9.560, conhecido como 'Lei Lucas', que estabelece a obrigatoriedade do treinamento dos docentes de educação básica e dos ensinos fundamental e médio em técnicas de primeiros socorros, que inclui RCP. "Estamos nos antecipando à medida, salvando vidas através do ensino."

Braga acrescenta, ainda, que a chance de sobreviver a uma parada cardíaca extra-hospitalar é próxima de zero se uma vítima não receber imediatamente compressões torácicas de alta qualidade com interrupção mínima, seguida por terapia adicional nos minutos seguintes (um choque de desfibrilação e/ou mais cuidado avançado pelo pessoal do serviço médico de emergência).

 

Confira as principais orientações:

P: Quem deve receber RCP Somente com as Mãos?

R: A RCP Somente com as Mãos é recomendada para uso em adolescentes ou adultos que apresenta colapso súbito.

 

P: O que fazer se eu encontrar um adolescente ou adulto desmaiado quando ninguém tiver visto o que aconteceu?

R: Chame o serviço de socorro e realize a RCP Somente com as Mãos até que o DEA seja trazido e esteja pronto para uso, ou até que um profissional avançado de saúde possa assumir o cuidado da vítima.

 

P: Existe algum perigo em tomar a dianteira e realizar a RCP sem nenhum treinamento?

R: Em média, qualquer tentativa de RCP em uma vítima é melhor do que nenhuma iniciativa de ajuda.

 

P: É possível quebrar as costelas de uma pessoa realizando a RCP?

R: Sim. Segundo a literatura científica, a RCP convencional pode causar fraturas em costelas e/ou no esterno, em pelo menos um terço dos casos. Não há registro de hemorragias graves nem morte.

 

P: Quando posso interromper a RCP Somente com as Mãos?

R: Continue empurrando com força e rapidez o centro do tórax até a chegada do socorro. Se a vítima falar, se mover ou respirar normalmente enquanto você faz as compressões, a RCP Somente com as Mãos pode ser interrompida.

 

Conheça o guia de RCP da AHA