Endocardite e manejo odontológico

No dia 27 de agosto, os alunos do Curso para Residentes e Especializandos em Medicina Intensiva da Somiti (Cremi) receberam a coordenadora do departamento de Odontologia da entidade, Alessandra Figueiredo. Ela ministrou a aula 'Endocardite e manejo odontológico em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca em uso de anticoagulante e antiplaquetários'.

Alessandra Figueiredo de Souza é habilitada em odontologia hospitalar, mestre em saúde pública, além de ser especialista na assistência de pacientes com necessidades especiais. Souza atua dentro de hospitais na capital mineira, tratando pacientes que possuem alterações bucais que podem comprometer o sistema do indivíduo como um todo.

 

Como atua o dentista na terapia intensiva?

“Se discute muito as ações da odontologia em equipe. Na medicina intensiva a odontologia não tem finalidade estética. Os procedimentos têm a função de ajudar a recuperação do paciente, identificando o foco de infecção. É possível prevenir pneumonia, realizando a laserterapia nos pacientes que têm mucosite, em função do tratamento oncológico e lesões traumáticas. Então os procedimentos ajudam a recuperar os doentes em uma ação multiprofissional”, afirma a especialista.

 A dentista aborda o cuidado prévio nos casos de pacientes que vão para cirurgia cardíaca. “A responsabilidade, junto com a equipe médica, é muito grande. Precisamos fazer a identificação de focos bucais que podem, por meio da bacteremia, bactérias que podem instalar nas valvas do coração do paciente, desenvolver endocardite infecciosa, uma doença grave, de alta mortalidade e morbidade.

 Segundo a dentista, a maioria dos pacientes que vão para cirurgia de prótese valvar são anticoagulados. Ela ressalta que, anteriormente, a recomendação era que os anticoagulantes fossem suspensos para fazer os procedimentos odontológicos. No entanto, os estudos mostram que suspender os anticoagulantes poderia agravar o caso do paciente, em decorrência de possíveis eventos tromboembólicos. Além de sequelas e complicações de uma possível hemorragia, de origem odontológica mais invasiva.

Para Souza, o conhecimento do trabalho da odontologia dentro dos hospitais é importante. "Embora muitos desconheçam, o anticoagulante agrega muito para a equipe médica. Ele permite a execução de vários procedimentos, sem trazer grandes riscos aos pacientes cardiopatas”, completa Alessandra.

 

O Cremi

 O Curso para Residentes e Especializandos em Medicina Intensiva, da Somiti, é gratuito. As aulas acontecem, as terças-feiras, na sede da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), em Belo Horizonte.

 Saiba mais e inscreva-se!

 

 Contribuição: Dara Dalamino