Congresso supera expectativas

O XVI Congresso Mineiro de Medicina Intensiva aconteceu de 6 a 8 de junho, em Belo Horizonte. Cerca de 1500 pessoas acompanharam uma ampla programação com palestras, estudos de caso, trabalhos científicos e grandes expositores.

Abertura

O presidente da Somiti, Hugo Urbano, falou do crescimento e da consolidação do evento e de sua relevância para o cenário da medicina mineira.  O presidente do Congresso, Jorge Luiz Paranhos, ressaltou o empenho de toda a comissao organizadora, presidida pela vice-presidente da Abramede MG, Maria Aparecida Braga. Na abertura, um momento emocionante com homenagem a fisioterapeuta Thaís Albano Falcão, que faleceu este ano.

O presidente da Associação Brasileira de Medicina Intensiva (Amib), Ciro Mendes, elogiou a Sociedade e convidou os participantes para o II Simpósio Multiprofissional em UTI, que acontece em Belo Horizonte, dias 30 e 31 de agosto. A coordenação do evento é dos representantes da Somiti junto à Amib e coordenadores: a fonoaudióloga Maria Carolina Morais e o enfermeiro Clayton Lima Melo.

O Congresso

O presidente da Somiti avalia que a medicina intensiva é uma especialidade muito dinâmica. “Conceitos que tínhamos há uma década e que eram estabelecidos como o último conhecimento sobre determinado assunto, mudaram profundamente nos últimos anos. Então, reposição volêmica, alguns tipos de antibióticos, a abordagem com ultrassom, monitorização hemodinâmica. Enfim, uma série de coisas extremamente importantes e de uso diário na terapia intensiva passou a ser entendida de forma muito diferente nos últimos 10 anos. Assim, a melhor forma de atualização e aquisição desses novos conhecimentos é por meio da participação em congressos.”

Para ele, um evento como este da Somiti, que trouxe mais de 15 convidados internacionais, é onde encontra-se as referências nos principais temas, do mundo inteiro, compartilhando as novidades com os participantes. O presidente acrescenta que o Congresso também contou com a atuação de excelentes palestrantes nacionais e locais. “Temos aqui pessoas muito bem formadas e que acompanham a literatura internacional, produzindo conhecimento. Temos também profissionais de outros estados que vieram abrilhantar esse Congresso.”

Para Urbano, quem participou vai retornar ao seu local de trabalho, podendo exercer uma medicina de primeira linha, assistir melhor seus pacientes e ter um reconhecimento no mercado. Ele afirma que um Congresso dessa amplitude melhora a prática médica e valoriza aos bons profissionais.

 

Sucesso de público

O presidente da Somiti, Hugo urbano, disse que inicialmente o Congresso foi programado para receber 1200 pessoas, um pouco mais do que o Congresso anterior. “Recebemos 1500 pessoas, ultrapassando nossas expectativas e com duas características interessantes: ampla participação dos acadêmicos dos últimos anos de medicina e presença dos inscritos durante todas as apresentações. As salas estavam lotadas o tempo todo e, em alguns momentos, foi necessário interromper para que não ultrapassássemos os horários previstos.”

Urbano celebrou o fato dos acadêmicos estarem se aproximando da terapia intensiva. Segundo ele, a maioria das faculdades tem uma carga horária muito pequena de emergência e terapia intensiva, então os estudantes vão ao congresso suprir essa necessidade da formação que não é contemplada na grade curricular. “Isso vai aproximas essas pessoas também da residências nessas áreas, fazendo com que essas especialidades cresçam e tenham mais candidatos para atuar.” O presidente da Sociedade de Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais, Henrique Baldanza, acompanhou o evento. Estudantes também contribuíram como voluntários.

 

Congresso tem auditórios simultâneos

No dia sete de junho, aconteceram as apresentaçãoes dos especialistas nos auditórios simultâneos:

  • Neurologia
  • Sepse / Infecção / Cardiologia
  • Medicina Pediátrica e Neonatal
  • Ventilação Mecânica / Fisioterapia
  • Enfermagem
  • Fonoaudiologia
  • Nutrição / Gestão / Trauma
  • Odontologia
  • Psicologia

 

Casos clínicos interativos

No dia 8 foram apresentados os casos clínicos interativos. A novidade foi a inserção da obstetrícia. Os temas incluem pré-eclâmpsia, hellp e hemorragia puerperal. Tambem foram apresentados casos das especialidades:

  • Cardiologia
  • Enfermagem
  • Neurointensivism
  • Nutrição
  • Pediatria
  • Sepse
  • Ventilação Mecânica e Nefrologia

Anteriormente eram duas salas divididas em temas adulto e pediatria. Neste ano, a programação foi ampliada para quatro salas, incluindo enfermagem e obstetrícia.

“Na sala de enfermagem foi necessário colocar cadeiras extras, com um público superior em 20% da capacidade prevista”. Foram inéditos os casos de obstetrícia, visando estimular também a participação no curso Fundamental Critical Care Obstetrics (FCCS OB) iniciado no final de 2018 pela Somiti. “Desta forma consideramos um excelente evento, onde todos tiveram oportunidade de atualização”, concluiu Urbano.

 

 

Abertura do evento Dr. Hugo Urbano, presidente Somiti Dr. Jorge Luiz Paranhos, presidente Congresso

Dra. Maria Aprecida Braga, vice-presidente Abramede MG                                                     Dr. Ciro Mendes, presidente Amib Diretoria e equipe Somiti

 

Aconpanhe o registro fotográfico 6/06