Profissionais buscam capacitação

30/08/2018

Cada vez mais em busca de atualização, alguns por meio de suas empresas outros de forma individualizada, profissionais de saúde integram as turmas de capacitação da Sociedade Mineira de Terapia Intensiva (Somiti). Um dos programas mais procurados é o Advanced Cardiovascular Life Support (ACLS).

O curso é ministrado desde 2000 pela Somiti, entidade autorizada pela American Heart Association (AHA). O médico Hugo Brito de Carvalho, que atua na Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) foi um dos alunos, em Belo Horizonte. Ele ressalta o desenvolvimento do conteúdo que vem da American Heart. “É referência. São eles que estudam o assunto, formulam os algoritmos e exportam isso para o mundo inteiro, de uma maneira muito didática para que a gente lance mão da conduta de uma forma muito rápida e na sequência correta”, diz. Satisfeito com a metodologia de ensino do curso, Carvalho também destaca o papel da Somiti, instituição que recebeu o selo Silver da AHA em 2015. “A Somiti sabe aplicar esse curso de uma forma muito envolvente e consegue acrescentar alguns ingredientes locais ao apresentar casos próprios e da experiência dos instrutores, além de auxiliar os alunos com métodos que ajudam a memorizar a sequência correta”.

Esta não foi a primeira vez que Carvalho participou da capacitação. Quando a fez anteriormente, percebeu os impactos positivos no seu dia a dia profissional, sobretudo nos plantões e atendimentos emergenciais nas UPA´s. Ele reforça que o curso é necessário para o cotidiano de todos os médicos, especialmente na área emergencial, e o recomenda para todos os seus colegas de profissão.

A enfermeira do trabalho Jeane Windson Simões Batista também fez o curso ACLS da Somiti. “Gostei de tudo, desde as aulas teóricas até as práticas. Os instrutores foram muito atenciosos em cada estação”, elogia. Ela reconhece que o embasamento científico proporcionado pela capacitação trouxe melhorias para o seu dia a dia profissional. “Hoje sei nortear minha prática de enfermagem durante um atendimento de RPC e entendo o que os médicos estão dizendo diante de um atendimento de bradicardias e taquicardias”, diz Jeane, que já conseguiu aplicar os conhecimentos adquiridos durante a capacitação.

A enfermeira destaca algumas situações em que o curso ACLS fez a diferença. “Logo após o curso atuei em PCR, consegui desempenhar o meu papel e direcionar a equipe de enfermagem com mais segurança e clareza. Posteriormente teve uma TSV que foi atendida pela médica; diante da monitorização do ECG consegui identificar a taquicardia pelo estreitamento do QRS e ausência de onda P”, diz. Ela conta que, quando a médica informou que iria levar o paciente para a sala de emergência devido a TSV, já sabia que seriam feitas as manobras antes de administrar Adenosina. "

Além do ACLS, a Somiti disponibiliza diversos outros cursos para atuação na emergência e terapia Intensiva. Dias 13 e 14 de setembro, em parceria com Abramede MG e Associação Médica de Minas Gerais, realiza o seu XX Simpósio.

 Mais informações.